CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

RPDC condena invenção de lei sanção independente dos EUA

 
À pergunta sobre os EUA ter inventado recentemente outra lei infame de sanção para asfixiar a República Popular Democrática da Coreia, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da RPDC respondeu no dia 3 o seguinte:

No dia 2, o presidente estadunidense Trump assinou o “projeto de lei de sanção sobre os adversários dos EUA”, aprovado no Congresso. Por seu resultado, fui adotada oficialmente como lei a sanção adicional dos EUA contra a RPDC, Rússia e Irã.

Isto não passa de atos desesperados daqueles aterrorizados ante nossas múltiplas e sucessivas medidas para o desenvolvimento das forças nucleares.

As manobras do país norte-americano que inventa arbitrariamente a lei de sanção e usa sem tom nem som a arma de sanção contra os Estados soberanos são atos imperdoáveis pela lei internacional.

O recente ato acima mencionado constitui um crime para aplicar sua lei nacional nas relações internacionais desafiando totalmente a Carta da ONU e a lei internacional.

Portanto, condenamos fortemente a “sanção independente” dos EUA e também todos os países devem refletir diante do ato ilegal deste país.

Resulta muito pobre o ato dos elaboradores norte-americanos da lei que atuam absurdamente sem compreender ainda a realidade e a causa de que a RPDC fabricou a bomba atômica, a bomba H e o foguete balístico intercontinental pese a duras sanções perpetradas durante mais de meio século.

Talvez os alvoroços de sanção dos EUA possam surtir efeito em outros país, mas não na RPDC.

A RPDC alcança sempre somente as vitórias graças ao Máximo Dirigente Kim Jong Un, possuidor de grande perspicácia, a extraordinária liderança e incomparável coragem e audácia, à frente da Revolução Coreana, e a unidade monolítica do exército e povo unidos compactamente em torno daquele, assim como o grande poderio do espírito de auto fortalecimento.

As manobras de sanção dos EUA duplicaram o indomável espírito e a inesgotável força de auto fortalecimento do nosso exército e povo, unidos compactamente em torno de seu líder, e fizeram consolidar mais sua capacidade de defesa nacional.

O segundo lançamento do teste do ICBM “Hwasong-14” da RPDC é a advertência séria aos EUA que atua desesperadamente ao ser derrotado reiteradamente no enfrentamento total com aquela.

As fanfarronas palavras beligerantes e a extrema ameaça de sanção dos EUA contra a RPDC, lhe põem mais alerta e preparada a esta e lhe dá mais justificativa para a possessão das armas nucleares.

Também no interior dos EUA é objeto de piada a anacrônica ilusão dos politiqueiros norte-americanos de derrubar com as sanções o elevado poder estatal geral e a posição estratégica da RPDC.

Os países que aderem a campanha de sanção dos EUA ao invés de condená-la não são senão os que instigam a piora da situação da Península Coreana.

Os Estados Unidos não devem gastar sua energia na absurda campanha de sanção anti-RPDC, mas devem pensar profundamente no remédio para garantir a segurança no seu território principal.